Siga nosso blog!

Segudores do Google +

Amigos do Facebook

--=

Pará Notícias

Um novo conceito

4.515.590 eleitores são aguardados domingo (5) em todo o Pará

No próximo domingo (05), 4.515.590 eleitores são aguardados para comparecer às urnas e exercer o direito ao voto, que vai definir os rumos de cada município pelos próximos quatro anos. Este ano são 3.554.358 eleitores no interior e 961.232 na capital. Sobre as Eleições deste ano os dirigentes, secretários e coordenadores do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) conversam amanhã, dia 1ª, com a imprensa local.

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA) vai disponibilizar 13.712 urnas eletrônicas, além de outras 1.371 urnas de contingência para atender eventuais substituições. Serão 1.529 urnas a mais que na última eleiçao municipal, em 2004.

Para agilizar a totalização dos votos no Estado, o TRE-PA vai utilizar 275 pontos de transmissão, 253 pontos a mais que na última eleição municipal de 2004. Os pontos estão instalados em diversos municípios paraenses e têm como objetivo garantir maior eficácia na totalização dos votos. Em alguns Estados a Justiça Eleitoral utilizará o serviço BGAN para transmissão de Boletins de Urnas. O serviço BGAN (Rede Global de Banda Larga) da Inmarsat será acessado através de um notebook conectado ao Terminal SABRE 1 da WidEye. Esse terminal permite a utilização simultânea para transmissão de dados e voz, o que permitirá a transmissão de arquivos e o contato telefônico entre técnico de transmissão, Junta Apuradora e TRE-PA.

Pela primeira vez o TRE-PA vai realizar a apuração do resultado das eleições em Belém em um único local: o Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, que vai centralizar a totalização dos votos de 10 juntas eleitorais da capital.

Até 2006, a apuração das Juntas Eleitorais da capital foi realizada em nove locais diferentes, situados na área de jurisdição das zonas. O objetivo da centralização, segundo o Assessor de Planejamento, Estratégia e Gestão Marcelo Aguillar, é "otimizar o trabalho das pessoas, melhorar o suporte técnico, facilitar o fluxo de pessoas e centralizar o fluxo de materiais como kits e urnas".

Entre as novidades da apuração no Hangar estão também a criação de centrais de recebimento e transmissão de resultado das seções eleitorais, de apuração eletrônica e de recuperação de dados, o que dará facilidade de transporte para a entrega de material das seções eleitorais, facilidade no acompanhamento dos trabalhos pelos fiscais e imprensa, a possibilidade de instalação de uma linha de comunicação de dados para a transmissão de resultados ao TRE-PA, além de maior segurança ao trabalho de apuração. "Segurança e transparência do processo é o objetivo principal do TRE-PA", ressalta Aguillar.

No local também serão disponibilizadas áreas de circulação para fiscais de partido e candidatos, área de armazenamento de urnas recolhidas, setor médico, sala da Presidência, sala VIP, sala da Comissão Totalizadora, sala de Imprensa e de entrevistas. Em Ananindeua, as zonas 43 e 72 também vão realizar apuração centralizada.


Fonte: AI – TRE-PA
Autor: AI – TRE-PA

ONG: senadores com parente candidato lideram gastos

Três senadores que têm parentes próximos concorrendo a cargos eletivos em outubro lideram o ranking de gastos com transporte e estadia da Casa, de acordo com levantamento publicado pela organização não-governamental (ONG) Transparência Brasil.

Enquanto a média de gastos dos senadores é de R$ 39 mil em oito meses (fevereiro a setembro), o senador Romeu Tuma (PTB-SP), pai do candidato a vereador em São Paulo pelo PTB Robson Tuma, gastou R$ 105 mil. O senador Mão Santa (PMDB-PI), marido da candidata à Prefeitura de Parnaíba (PI), Adalgisa de Moraes Sousa (PMDB), utilizou R$ 104 mil e, Jayme Campos (DEM-MT), irmão do candidato a prefeito de Várzea Grande, Júlio Campos (DEM), apresentou despesas de R$ 94 mil.
O gasto é referente à chamada verba indenizatória - a despesa é paga com dinheiro do parlamentar, que é ressarcido posteriormente. Desde fevereiro, os 75 senadores que utilizaram o recurso embolsaram, no total, R$ 3,1 milhões.


Fonte: AE
Autor: AE

Exclusivo: Lista de Mário Cardoso chega a Seduc

O blog já havia divulgado [veja aqui], que o prefeitável por Belém, Mário Cardoso – PT formou uma lista interminável com nomes de DAS e com cargos que recebem gratificação na administração da governadora Ana Júlia Carepa [PT-DS]. A lista exige que esses funcionários doem, de “livre” espontânea vontade R$ 100,00 para a campanha do ex-secretário de educação do estado.

A lista chegou ontem a Seduc e já provocou revolta entre os funcionários DAS e os que recebem gratificação. Segundo um funcionário da secretaria, quem não doar pode sofrer represálias.

“Nós não podemos denunciar, pois estamos sendo pressionados devido à lista. O meu nome está lá e já vieram conversar com a gente sobre o dinheiro. Eu vou ter que doar se não ficarei marcado aqui na Seduc e posso ser demitido”, disse o funcionário que não pode se identificar com medo de perder o emprego.

Mário Cardoso, quando administrava a pasta da educação, deixou um rastro quilométrico de dispensa e inexigibilidade de licitação duvidosa [veja aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui]. Agora ele tenta por pressão, segundo relatou um funcionário, tirar vantagem do funcionalismo público que recebe gratificação e DAS para apoiá-lo com “doação” de R$ 100,00 para sua campanha. A lista passa hoje na secretaria.



Fonte: Jornalismo Político

Autor: Jornalismo Político

Últimos debates na TV devem respeitar horário local

Os debates entre os candidatos na TV não podem ultrapassar a meia-noite do dia 2 de outubro, respeitando o horário oficial do município. Entre os candidatos que se enfrentarão no segundo turno das eleições municipais, o debate está limitado à meia-noite do dia 24 de outubro. O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) alterou, na sessão extraordinária desta segunda-feira (29), a Resolução TSE 22.718, que dispõe sobre a propaganda eleitoral, para garantir que seja usado como referência para os últimos debates na TV o horário local e não o horário de Brasília, já que há diferença de fuso horário no Brasil.

Pesquisas de boca-de-urna

A diferença de fuso horário no país tampouco restringirá a divulgação de pesquisa de boca-de-urna nas eleições municipais de 2008. Os resultados das pesquisas de voto realizadas no dia das eleições poderão ser divulgados a partir das 17 horas nos municípios em que a votação já estiver encerrada. Como este ano não haverá eleição para presidente da República, as pesquisas de boca-de-urna não enfrentarão as restrições impostas pela Justiça Eleitoral decorrentes das diferenças do fuso horário brasileiro. Os limites de horário para a divulgação das pesquisas realizadas no dia da votação servem para que o eleitor não seja influenciado na sua escolha para a Presidência da República.

Já as pesquisas de intenção de voto, realizadas em data anterior ao dia das eleições, podem ser divulgadas a qualquer momento, inclusive no dia da votação, segundo resolução aprovada pelo TSE. A resolução estabelece critérios para o registro e divulgação de pesquisas eleitorais, como a obrigatoriedade, por ocasião da divulgação dos resultados, de informar o período de coleta de dados, a margem de erro, o número de entrevistas, o nome da empresa que a realizou e o de quem a contratou, e o número do registro da pesquisa na Justiça Eleitoral.

A divulgação de pesquisa sem o prévio registro, por exemplo, está sujeita à multa que varia de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00. Os mesmos valores são considerados para o crime de divulgação de pesquisa fraudulenta, cuja penalidade também inclui a detenção entre seis meses e um ano do responsável pela irregularidade.

Fonte: TSE

Autor: TSE

Candidato que recorrer contra negativa de registro assume risco de prosseguir em campanha

É de responsabilidade do próprio candidato, partido ou coligação o prosseguimento na campanha eleitoral, caso tenha recorrido de decisão que negou seu registro de candidatura.

O artigo 43 da Resolução 22.717/2008 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permite que ele continue em campanha, mesmo com o registro rejeitado, enquanto a questão estiver sub judice, ou seja, enquanto o recurso estiver em tramitação.

Já a Resolução 22.718, em seu artigo 16, estabelece que durante esse período o candidato poderá manter todas suas atividades de campanha, inclusive a participação no horário destinado à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

O partido ou a coligação pode substituir por outro o candidato que teve seu registro rejeitado ou prosseguir com o mesmo na campanha, desde que assuma o risco de aguardar posterior decisão judicial que confirme ou não a candidatura.

A substituição de candidato a prefeito pode ser feita até a véspera das eleições desde que dentro do prazo de 10 dias da decisão que indeferiu o seu registro. Já a substituição de candidato a vereador deve ser feita até 60 dias antes das eleições.

Vereadores

A Resolução 22.172 em seu artigo 152 estabelece que para as eleições proporcionais, de vereadores, se o registro foi rejeitado antes da eleição e confirmado em última instância, os votos conferidos ao candidato devem ser anulados.

Já no caso em que a cassação do registro ocorre após as eleições, os votos recebidos pelo candidato contarão para a legenda, ou seja, o partido político ao qual ele é filiado receberá os votos.

Essa hipótese vale também para os casos em que o candidato obteve liminar para concorrer e depois teve a decisão modificada, sendo negado registro.

Prefeitos

Com relação às eleições majoritárias, o candidato a prefeito que perder o registro, dá lugar ao segundo colocado, que assume o cargo. Se o candidato eleito teve 50% mais um dos votos válidos e, em última instância, ficar decidido que ele não poderia ter se candidatado, os votos são anulados e é convocada nova eleição.

Fonte: TSE

Autor: TSE

Feira do Livro termina com mais de 470 mil visitantes

Realizada pelo segundo ano consecutivo no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, a XII Feira Pan-Amazônica do Livro registrou mais de 470 mil visitantes, superando todas as expectativas de público. Ano passado o total de freqüentadores ficou em 340 mil.

O volume de negócios ficou em torno de R$ 25 milhões, superior em quase R$ 14 milhões o faturamento do ano passado, uma conquista do mercado editorial da Região Norte. Somente em Cred-Leitura - recurso concedido pelo governo do estado para aquisição de livros e outros materiais didáticos -, foram distribuídos R$ 2 milhões a professores da rede pública estadual de ensino.


Fonte/texto: Ascom/Secult

A charge do dia

Autor: Sponholz

Debate sem graça e voto

Por Onofre Ribeiro

Acompanhei o debate do último domingo na Tv Record com o propósito bem definido de perceber algum fato capaz de mudar o rumo da eleição municipal em Cuiabá. Em geral esses debates de última hora costumam produzir fatos relevantes. Mas não foi o caso. Pode se dizer que há um certo equilíbrio de postura entre os cinco candidatos. Em eleições e em debates anteriores os chamados candidatos "laranja" sempre venderam o seu passe nos debates para atacar os candidatos melhor posicionados com as denúncias mais incômodas, ou com as "polêmicas sujas". Nesta eleição, curiosamente, nenhum dos cinco candidatos é "laranja" de ninguém.

Quanto ao debate, a uma semana da eleição, e às vésperas do fim do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, era de se esperar momentos decisivos. Não houve. A conduta traçada por Mauro Mendes e por Walter Rabello foi atacar o prefeito Wilson Santos, candidato à reeleição. Escolado em muitas eleições anteriores, a única novidade foram os óculos de leitura estreados por Wilson Santos durante o debate.

Dois únicos momentos de alguma emoção, foram quando Mauro Mendes acusou que entre os quatro adversários, um é ligado ao crime organizado. Walter Rabello provocou-o para declinar o nome, mas Mauro se recusou. O momento mais engraçado e tenso,foi quando Walter Rabello provocou o prefeito Wilson Santos a beber um gole da água que trouxe do bairro 1° de Março, que, segundo ele, não seria potável. Wilson bebeu e não morreu. Aproveitou a deixa para garantir que antes do fim a estação de tratamento de água da região será inaugurada e terá água de qualidade indiscutível e farta,etc.etc.

Outro ponto foi levantado por Wilson Santos contra Mauro Mendes, acusando-o de ser "litigante de má fé" num processo judicial a respeito do atropelamento ocorrido em 1993 e que acabou por azedar as relações entre ambos na atual eleição. Wilson leu uma sentença do Tribunal de Justiça, que Mauro desqualificou como sendo do Tribunal de Pequenas Causas, è época do atropelamento.

Isso resume o debate. O deputado federal e candidato Valtenir Pereira teve pouco brilho e o procurador Mauro César cumpriu a sua tabela como candidato do PSOL. De interessante mesmo, dois outros fatos. O primeiro, os desentendimentos de bastidores dos marqueteiros Antero Paes de Barros, de Wilson Santos, e Júlio Valmórbida, de Mauro Mendes. O segundo fato foi lamentável: na saída dos candidatos do prédio da emissora um cabo da Polícia Militar atirou para cima e feriu inadvertidamente um cinegrafista da TV Record.

As pesquisas ao final do debate mostraram que ficou como dantes no quartel de Abrantes. Votos mesmo não vieram e nem virão depois do debate, além dos que naturalmente viriam. É o caso de discutir a viabilidade de novos e eventuais debates, já que nesta eleição, nenhum dos muitos debates provocou surpresas, sustos e nem fatos marcantes para os eleitores. Debate sem voto não se justifica, já que as idéias são poucas.


Onofre Ribeiro é articulista deste jornal e das revistas RDM e Centro-Oeste

Cadê o dinheiro do assalto da CMC?

Fonte: Jornalismo Político
Montagem: Paulo Zildene

Jogada de mestre em Capanema

Há forte suspeita de nova modalidade de ganhar dividendos de servidores municipais que necessitam receber da prefeitura de Capanema, no Pará. Segundo informações, o gestor municipal está sem dinheiro em caixa para quitar débitos com prestadores de serviço, mas para solucionar o imbróglio uma pessoa indicada recebe os cheques pré-datados da prefeitura.

Até aí tudo bem, se não fosse à forma mágica da multiplicação da larga vantagem ao pedir que os mesmos troquem os cheques a 10% com um servidor da prefeitura autorizado a fazer a transação comercial.

A mesma fonte disse que pelo menos, na semana passada R$ 500 mil foram trocados pelo agiota indicado.


Fonte: Jornalismo Político

Autor: Jornalismo Político

Exposição Jóias de Nazaré 2008

Será aberta na próxima quinta-feira (02), às 19 horas, a exposição “Jóias de Nazaré 2008”, promovida pelo Instituto de Gemas e Jóias da Amazônia (Igama), instituição que gerencia o Espaço São José Liberto, e Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Com jóias inspiradas na simbologia de Círios antigos, sob o tema “A Fé no Tempo”, a mostra terá 53 peças, criadas e produzidas por profissionais ligados ao Pólo Joalheiro do Pará.

Em sua sexta edição, “Jóias de Nazaré 2008” será montada na área de exposições da Casa do Artesão, no São José Liberto, em ambiente criado também sob a inspiração de Círios do passado, a partir de projeto da diretora do Museu de Gemas do Pará, Anna Cristina Meirelles. As peças serão expostas em vitrines temáticas. A ambientação terá ainda nove painéis reproduzindo fotos do arraial funcionando ainda em frente à Basílica, de crianças brincando no carrossel e de romeiros na corda – imagens pertencentes ao acervo fotográfico do Museu do Círio.


Fonte/texto: Secom

A charge do dia

Autor: Sponholz

Candidato à prefeitura de Porto Velho entra com recurso para recuperar tempo

Na disputa pela prefeitura de Porto Velho (RO), o candidato Roberto Sobrinho (PT), da Coligação “Trabalho de Novo com a Força do Povo”, entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para recuperar dois minutos e quarenta e oito segundos de propaganda gratuita na TV. A campanha de Roberto Sobrinho e seu candidato a vice-prefeito, Emerson Castro (PMDB), é acusada pelo diretório municipal do PSB de transmitir consulta popular de natureza eleitoral no programa veiculado na TV entre 12h e 12h30 do dia 25 de agosto.

Resolução do TSE proíbe a transmissão, na propaganda eleitoral gratuita, “ainda que sob a forma de entrevista jornalística, imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou em que haja manipulação de dados”.

Contrariando a decisão do juiz eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) considerou a ação procedente, entendendo que a manifestação de apoio dos entrevistados a Roberto Sobrinho “gera no telespectador a perspectiva de que esse candidato tem a preferência da opinião do eleitorado”.

O TRE-RO determinou, portanto, que fosse descontado o dobro do tempo usado na propaganda eleitoral para veicular consulta popular ou entrevista irregular, o que soma dois minutos e quarenta e oito segundos.

Ao recorrer da decisão da Corte Regional, a campanha eleitoral de Roberto Sobrinho nega o uso de entrevista ou consulta popular em apoio à candidatura majoritária. “O que se viu foram declarações de pessoas simpatizantes da candidatura de Roberto Sobrinho e seu candidato à vice-prefeito sem qualquer característica de pesquisa eleitoral, consulta pública ou entrevista, tampouco com manipulação de dados”, argumenta o candidato.



Fonte/texto: AE

PSDB nega acordo com DEM e reforça apoio a Alckmin

Em nota divulgada hoje, o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), negou a existência de qualquer tipo de entendimento com o DEM para apoiar no segundo turno das eleições municipais de São Paulo o prefeito Gilberto Kassab (DEM). "Não há e nunca houve nenhuma conversa do PSDB com o DEM e do DEM com o PSDB sobre um eventual apoio a qualquer candidatura no 2º turno da eleição para a Prefeitura de São Paulo", afirma a nota. Sérgio Guerra assegura, na nota, que o PSDB só trabalha com uma hipótese: "o candidato do partido, Geraldo Alckmin, estará no 2º turno". De acordo com a nota, as pesquisas eleitorais indicam empate técnico entre os dois, o que reforça a condição de Alckmin.

A notícia de que dirigentes do PSDB e do DEM já teriam iniciado conversas para eventual apoio no segundo turno, publicada na edição de hoje do jornal O Estado de S. Paulo, causou péssimo impacto no diretório de campanha de Alckmin. A nota do PSDB menciona que a última reunião formal que os dirigentes dos dois partidos tiveram ocorreu em 12 de agosto.

As negociações, no entanto, de acordo com um integrante da cúpula tucana, vêm ocorrendo em caráter informal. Nessas conversas, informa o integrante, estaria sendo considerado o cenário de que o segundo turno em São Paulo seria disputado pelos candidatos do PT, Marta Suplicy, e do DEM, Gilberto Kassab. O PSDB avalia ainda a possibilidade de, nos próximos dias, realizar um ato de apoio a Alckmin, com grandes expoentes do partido.


Fonte/texto: AE

Amar é...


Autor: Desconhecido

José Priante promete "choque de gestão" na saúde em Belém

O candidato do PMDB à prefeitura de Belém, José Priante, quer implementar um “choque de gestão" na rede de saúde municipal. A criação de unidades que funcionarão 24 horas, com estrutura de atendimento de médio porte, está entre as propostas do candidato para o setor. O seu objetivo é “desafogar” o movimento nos dois prontos-socorros municipais da 14 de Março e de Guamá.

Priante disse que vai ampliar de 20% para 30% o atendimento preventivo executado pelos profissionais do programa de prevenção Saúde da Família. “Vamos precisar de uma atenção muito especial, humanizada, capacitação, remuneração digna para médicos e para todos os que fazem o serviço público de saúde”, afirmou.

Na educação, as propostas de Priante estão focadas no ensino em tempo integral. Entre as ações que pretende implementar está a criação do “Protequengo” (expressão que une as palavras proteção e "quengo", significando cérebro), uma bolsa que será concedida aos estudantes de baixo poder aquisitivo para a realização de cursos profissionalizantes. Desta forma, o candidato quer estabelecer o mínimo de condições para que jovens carentes tentem uma vaga no mercado de trabalho.

Para as crianças entre zero e cinco anos, Priante prometeu “espalhar creches por toda a cidade”. Para viabilizar sua proposta, ele pretende fazer parcerias com estabelecimentos religiosos e convênios com entidades comunitárias. “Dessa forma, esperamos que nos três primeiros meses [de mandato na prefeitura] possamos espalhar creches por toda a cidade de Belém”, disse o candidato.

Como proposta para combater a violência na cidade, José Priante disse que tem como programa de campanha “construir uma rede de proteção social” capaz de minimizar o problema, mesmo reconhecendo o papel do governo estadual no controle da segurança pública.

“Vamos criar uma secretaria de segurança pública municipal. Com isso, vamos habilitar o município aos programas do governo federal ligados à área e aos programas sociais relativos a essa área”, afirmou.

Colocar carros nas ruas para prestar serviços de segurança pública também está no programa de José Priante. Com isso, ele pretende promover rondas nos bairros distribuídos nos oito distritos de Belém. Cada distrito seria fiscalizado por 12 carros, em princípio, segundo a proposta do candidato.

Para minimizar o problema habitacional, Priante quer fazer uma parceria com o governo federal por meio do programa Crédito Solidário, que financia a compra de imóveis por 20 anos sem cobrança de juros.

A melhoria do trânsito na cidade passa, de acordo com ele, pelo reordenamento das linhas de transporte coletivo. Para isso, promete criar faixas exclusivas de ônibus e ordenar melhor as vias destinadas ao transporte coletivo.


Fonte/texto: AG - BR

A charge do dia

Autor: Sponholz

PT intimida DAS

O Partido dos Trabalhadores está intimidando e intimando os servidores comissionados [DAS] e funcionários que recebem gratificação, a doarem proporcionalmente ao rendimento um [valor X] para campanha a prefeito de Mário Cardoso - PT, pelo município de Belém.

Segundo uma fonte da Sagri – Secretaria de Agricultura do Estado, o PT está pressionando os servidores desde o início dessa semana.

“O PT está cobrando R$ 100,00, de todos servidores DAS ou que recebem gratificação. Mas, dependendo do ganho esse valor aumenta. Além disso, nós estamos sendo obrigado a colocar adesivo nos nossos carros e fazer panfletagem”, disse a servidora da Sagri.

Mário Cardoso quando assumiu a pasta da Seduc – Secretaria de Educação do Estado era conhecido como o homem dos 10%. E não foi por acaso que um licitante gravou uma conversa entre o financeiro de Mário a frente da Seduc cobrando 10% pelos restos a pagar da gestão do ex-governador Simão Jatene – PSDB.

O empresário entregou pessoalmente a gravação a governadora Ana Júlia Carepa – PT.

O ex-secretário deixou um rastro quilométrico em dispensas e inexigibilidade de licitação duvidosas quando assinava pela pasta da Seduc. Veja [aqui e aqui].



Fonte: Jornalismo Político

Autor: Jornalismo Político

DECISÃO: STJ julga recurso envolvendo danos morais no Orkut

Ação de indenização por danos morais pode ser proposta no nome de proprietário de empresa atacada por mensagens difamatórias em comunidades do Orkut. Com esse entendimento, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão que considerou legítima a ação proposta pelo empresário W.V. contra duas pessoas que teriam difamado o seu criatório de avestruzes.

No caso, a ação de indenização foi proposta por W.V. contra V.M.P.G. e J.G. acusando-as de ter prejudicado o seu negócio – estrutiocultura ou criação de avestruzes – e o levado à ruína ao manchar a boa imagem de seu criatório no conhecido site de relacionamentos Orkut.

De acordo com a inicial, as duas teriam difamado o criatório e o seu proprietário na tentativa de cobrar, de maneira ilícita, uma dívida contraída por seu filho, divulgando tais mensagens nas comunidades do Orkut destinadas à criação de avestruzes e ligadas à cidade de domicílio de W.V. e à região. Assim, o criador pediu indenização em valor a ser arbitrado pelo Juízo e, em tutela antecipada, a retirada de todas as mensagens enviadas para as comunidades do Orkut, sob pena de multa diária.


Autor: Wilton Moreira Filho

Nós e a cruz da crise

Por Onofre Ribeiro

Procurando os reflexos da crise norte-americana sobre a economia agrícola de nosso estado, nesta semana conversei longamente com o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso - Aprosoja, Glauber da Silveira.

Na sua visão, que também é a do economista Seneri Paludo, superintendente do Instituto de Estudos Aplicados - Imea, vinculado à Federação da Agricultura, a crise traz riscos sérios e traz oportunidades novas para nosso estado.

Do ponto de vista dos riscos, os custos em Mato Grosso são muito altos, somados com a logística cara e ruim, segundo Glauber, há uma forte possibilidade dos produtores não se remunerarem. Estão sujeitos a, no máximo, empatarem o custo de produção com o valor da venda. O resto do mundo tem alcançado lucro com os preços atuais das commodities agrícolas. O Sul do Brasil e o Oeste da Bahia têm alcançado bons lucros pela proximidade dos portos, pela alta industrialização, principalmente

De fato, em Mato Grosso a menos que se industrialize o máximo possível da produção para agregar valor, os riscos são crescentes de empobrecimento dos produtores.

Já Seneri Paulo acha que a crise vai quebrar paradigmas e trazer novos modos e modelos de produção, junto com novos negócios e novas percepções. O mundo vive de crise em crise e de ciclo em ciclo. Talvez a partir da crise atual, o mundo imponha novas visões a setores tradicionais como o da agricultura em cima de conceitos novos como o da sustentabilidade e do máximo aproveitamento das áreas abertas no país.

Segundo ele, nos Estados Unidos, as áreas hoje plantadas são as mesmas de 1920. Não se abriu mais nada depois disso. O que se fez foi o melhor aproveitamento ao longo do tempo, até chegar aos níveis atuais de produção e de produtividade.

De qualquer modo, não se pode esperar que uma crise do tamanho da norte-americana e dos desdobramentos que provocará na economia do mundo inteiro, e nós aqui na região de maior possibilidade de produção no mundo atual, não tenhamos qualquer impacto.

É claro que teremos enormes impactos. Especialmente no que diz respeito à mentalidade e às atitudes dos produtores. A respeito, a Aprosoja está realizando um curso de liderança em nível de pós-graduação, para empresários rurais e seus filhos, e já vem sendo cobrada pelas esposas dos produtores que também querem entrar no processo e estudar.

Esse é um dos aspectos positivos da crise: produzir mudanças de comportamento. Provavelmente daqui a um ano a percepção já seja outra e esta crise já tenha saído digerida e compreendida a nosso favor. Afinal, o mundo está se resumindo a uma equação: alimentos e energia.

Onofre Ribeiro é articulista deste jornal e das revistas RDM e Centro-Oeste

Presos 3 acusados de elaborarem fraude eleitoral em RO

Três pessoas foram presas pela Polícia Federal em Rondônia ontem em razão da prática de crime de estelionato contra o candidato a prefeito do município de Porto Velho Hamilton Casara (PSDB). A investigação teve início em função de denúncia formulada pelo próprio candidato na Superintendência da PF em Rondônia, que disse ter sido procurado pelos presos, que ofereceram seus serviços visando adulterar o resultado das eleições e, para tanto, cobravam o valor de R$ 1 milhão.

Segundo Hamilton Casara, que colaborou com as investigações, os presos explicaram que a fraude consistiria na inserção de um vírus nas urnas eletrônicas de votação capaz de transferir os votos dados a outros candidatos em favor do beneficiário da fraude. A Polícia Federal acompanhou o desenrolar da fraude até o encontro marcado pelos presos, no qual o candidato deveria repassar a primeira parte do pagamento, no valor de R$ 500 mil, ficando o restante devido para o resultado do 2º turno das eleições.


Fonte/texto: AE

A charge do dia


Autor: Sponholz

Primeiro ou segundo turno?

Por Onofre Ribeiro


No programa "Resumo do Dia", apresentado pelo radialista e deputado estadual Roberto França, nesta última terça-feira, ele questionou aos três convidados se as denúncias feitas na véspera pelos candidatos Wilson Santos e Walter Rabello influenciariam na eleição de prefeito de Cuiabá. Fomos unânimes, os articulistas Alfredo da Mota Menezes, Louremberg Alves e eu, em afirmar que influenciarão sim. De que forma?

Todos pensam que até aquele momento, a eleição para prefeito de Cuiabá estava definida para ser ganha pelo prefeito Wilson Santos no primeiro turno. Mas a partir das denúncias feitas no programa eleitoral gratuito de segunda-feira, acusando o também candidato Mauro Mendes, embriagado, de ter atropelado um casal em 1993, em Cuiabá, sem prestar assistência. No programa "Resumo do Dia", afirmei que Mauro Mendes viria com uma reação muito forte, até porque é do seu temperamento enérgico. Naquele momento ninguém conhecia ainda a sua reação. Ainda, no programa, os três analistas concordaram que a eleição já não seria mais definida no primeiro e corria o risco de ir para o segundo turno, dependendo da reação de Mauro Mendes, que viria 48 horas depois, na quarta-feira.

De fato, a resposta veio forte e documentada. No primeiro momento, a resposta desarticulou a denúncia ou, no mínimo, estabeleceu a dúvida na cabeça do eleitor. Mas pareceu-me ontem, depois de ouvir a reação em entrevista de Mauro Mendes na Rádio CBN, de ter visto no blog "RD News" a entrevista dada pela manhã ao programa "Cadeia Neles", e outras repercussões, que surgiu um fato novo que realmente deve ser levado em conta. A candidatura de Mauro Mendes, apesar de sua obstinação pessoal, aparentava ares de esfriamento diante da possível vitória de Wilson Santos em primeiro turno.

Mas a partir das denúncias, Mauro Mendes ganhou fôlego e mostrou que está com os brios feridos. Aqui entra outra apreciação. Empresário é diferente de político. Os políticos sabem que as críticas e denúncias são armas eleitorais. Empresário, não! Não aceita e reage pra valer. Foi o que houve. Ontem o clima na campanha de Mauro Mendes era de otimismo pela possibilidade de segundo turno.

E ele leva uma vantagem sobre Wilson Santos. O prefeito vem de um mandato de três anos e nove meses, acordando diariamente às 4 horas da madrugada e deitando-se depois da meia-noite. Tem o controle da prefeitura nas mãos e delega pouco, razão até de sua administração não ter escândalos. Cansado e já no fim da campanha, era de esperar apenas a passagem do tempo. Agora terá que enfrentar uma candidatura revigorada e, possivelmente, um segundo turno duro e incerto.

Ficam esses registros para que a campanha saia dos trilhos das denúncias e se prenda ao que realmente interessa aos eleitores. Na realidade, todo mundo sabe desde a eleição de Fernando Henrique Cardoso, em 1994, que denúncias em tempo de eleições não merecem crédito. As pesquisas estão cansadas de mostrar isso desde aquela época.

Onofre Ribeiro é articulista deste jornal e das revistas RDM e Centro-Oeste

Mais de 500 eleitores solicitaram 2ª via do Título

A Central de Atendimento ao Eleitor (CAE) do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) atendeu 521 eleitores que solicitaram ontem (25) a 2ª via do Título Eleitoral, no último dia do prazo para adquirir o documento. A CAE, situada no bairro da Pedreira, encerrou os trabalhos por volta das 13h30, quando o último eleitor foi atendido.

Mesmo quem não conseguiu solicitar a 2ª via do documento eleitoral poderá votar nas eleições do próximo dia 5 de outubro. Basta apresentar um documento oficial com foto, como carteira de motorista, Identidade ou carteira de trabalho. “Só não vota quem teve o título cancelado por algum motivo”, explica o Coordenador da CAE, Wladson Santos.

A Central de Atendimento ao eleitor, que também abriga os Cartórios Eleitorais da capital, oferece diariamente aos eleitores os serviços de Alistamento Eleitoral para maiores de 16 anos, Transferência, 2ª via do Título de Eleitor e Revisão de dados cadastrais, porém esses serviços estão suspensos no momento devido às eleições, devendo ser retomado a partir de novembro.

No período de 7 de maio a 25 de setembro (ontem), 8.483 segundas-vias foram emitidas na Central de Atendimento ao Eleitor.

Fonte/texto: AI – TRE-PA

Marta pede direito de resposta contra Kassab

A candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Marta Suplicy, recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo direito de resposta contra a coligação "São Paulo No Rumo Certo" (PR, PMDB, PRP, DEM, PV e PSC), que apóia o atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM). O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) negou o pedido por não considerar ofensivo a Marta um jingle da campanha de Kassab no rádio.

"Inveja, inveja, parece que não se lembra das taxas que ela criou, dos coqueiros que plantou, que a cidade ela quebrou", diz à música que foi contestada pela coligação de Marta. No recurso ao TSE, a petista pede reconsideração da Justiça Eleitoral e a concessão de tempo de resposta durante a campanha do atual prefeito.

PCO
O Partido da Casa Operária (PCO) apresentou recurso ao TSE contra a decisão do TRE-SP de conceder direito de resposta a Kassab. O atual prefeito e sua coligação obtiveram um minuto do tempo de campanha do PCO por causa de anúncio que alegava que os prefeitos "destruíram o transporte público para favorecer os altos lucros da máfia das empresas privadas". A defesa de Kassab considerou ofensiva à honra do prefeito a alegação. No recurso ao TSE, os advogados do PCO afirmam que as informações veiculadas são legítimas e não contêm calúnia, difamação ou injúria nem afirmações falsas.


Fonte: AE
Autor: AE

100 municípios requisitaram apoio das Forças Federais

Para as eleições municipais deste ano, 100 municípios de 75 zonas eleitorais requisitaram o apoio das Forças Federais. O envio das Tropas Federais é importante para garantir a segurança dos eleitores e dos demais envolvidos no Pleito eleitoral, caso ocorram situações de conflito.

O primeiro passo para a solicitação das forças Federais, é um ofício enviado pela Coordenadoria de Serviços Gerais (COSEG) do TRE, solicitando que todas as zonas eleitorais manifestem-se sobre a necessidade de reforço de Força Federal para as Eleições. Cada juízo apresenta as necessidades e justificativas ao TRE, e a partir daí, a SESIN consolida as informações, que passa pela Secretaria de Administração e Diretoria Geral do tribunal, sendo finalmente levada ao pleno do TRE para ser aprovado.

Após a aprovação, é comunicado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a decisão, solicitando que seja requisitado o reforço de Força Federal para os municípios do Estado; Em seguida, tudo é analisado pelo pleno do TSE e enfim, é requisitado ao Exército o apoio da Força Federal para os municípios que solicitaram. Após isso, os TREs entram em contato com os exércitos da cada região para a negociação do apoio às eleições.

Nas eleições passadas, e em vários municípios, há registros de ocorrências onde foi necessária a intervenção das Forças Federais para a solução de conflitos muito comuns em período eleitoral.

Confira a lista dos municípios

Fonte: AI – TRE-PA
Autor: AI – TRE-PA

Governadora confirma presença em Capanema

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa [PT-DS] confirmou presença no município de Capanema, cidade a 160 km de Belém, neste sábado [27]. Segundo a assessoria do governo, durante a passagem de Ana Júlia pelo município vai assinas diversas ordens de serviços, alem de conferir in loco a pavimentação de 8 km em asfalto que havia prometido ao prefeito José Alexandre Buchacra [PT-AS]. As obras iniciaram essa semana.

A parir das 15h, a governadora se reúne com o PT e o PPS para discutir futuros investimentos no município.



Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

Prefeitos eleitos terão acesso a dados antes da posse

Os prefeitos que forem eleitos neste ano não precisarão esperar até a posse, em 1º de janeiro, para buscar recursos do governo federal. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão já está preparando estrutura de apoio institucional a fim de colocar à disposição das equipes dos governos municipais de transição seu banco de dados e todas as possibilidades de parcerias, principalmente através do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC).

A revelação foi feita ontem pelo ministro Paulo Bernardo, em Mauá, no ABC paulista. Bernardo rechaçou a hipótese de a estrutura ficar à disposição apenas de prefeitos petistas ou aliados. "Com o PAC já temos obras em andamento em 5.200 municípios brasileiros, e muitos deles são administrados por adversários", disse o ministro. Ele justificou a necessidade de colocar a estrutura do ministério à disposição das prefeituras com o argumento de que muitos prefeitos não conseguiram verbas por incapacidade de apresentar projetos viáveis e elaborados tecnicamente.


Fonte: AE
Autor: AE

Projeto do governo sobre jornalistas é criticado

A Associação Nacional dos Editores de Revistas (Aner) definiu como "um retrocesso" o projeto de lei anunciado na semana passada pelo ministro Tarso Genro, da Justiça, que prevê a possibilidade de punição criminal ao jornalista ou ao veículo que divulgar escutas telefônicas, legais ou ilegais. Em nota divulgada ontem, o presidente da entidade, Jairo Mendes Leal, afirma que "a criminalização de tais procedimentos" revela "embaraços que se desejam impor à liberdade da imprensa". O projeto foi enviado ao Congresso, já com assinatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo a Aner, a nova tentativa do governo contra a liberdade de imprensa "se junta à proposta de mudanças no direito constitucional do sigilo de fonte, sugerida pelo Ministro Nelson Jobim". As duas juntas, diz a nota, são reveladoras "de embaraços que se desejam impor à liberdade da imprensa". Elas representam "mais uma tentativa de obstaculizar o exercício jornalístico e a liberdade de imprensa, consagrados constitucionalmente como princípios estruturais do Estado Democrático brasileiro, e devem, peremptoriamente, ser repudiadas por toda a sociedade".

O texto do ministro Tarso Genro altera o art. 151 do Código Penal, determinando a pena de reclusão de 2 a 4 anos para quem "diretamente ou por meio de terceiros" realizar "interceptação de qualquer natureza" - ou seja, grampo - "sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei". No entanto, da maneira como foi escrito ele autoriza o juiz a condenar um veículo de comunicação, jornalista ou a fonte caso entenda que a ação teve objetivo ilegal como chantagem, calúnia, injúria e difamação. Isso porque o art. 151 passa a ter um novo inciso - o nº 2 do parágrafo 1º - determinando que receberá a pena quem usar qualquer tipo de grampo "para fins diversos dos previstos em lei".

Cobrado pela oposição, que acha a iniciativa inconstitucional, o ministro da Justiça sustenta que seu projeto "mantém integralmente" o direito à informação e o sigilo da fonte. Em resposta aos parlamentares, Tarso sustenta que "só o criticam os que não leram o texto". O que o projeto faz - acrescenta o ministro - "é dizer que utilizar essas informações para fins de obter vantagem ou proporcionar injúria, calúnia ou difamação passa a ser um delito conjugado. Apenas isso."

Fonte: AE
Autor: AE

TRE-BA proíbe rivais do PT de usarem Lula na campanha

Em sessão que terminou no fim da noite de ontem, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) acatou, por cinco votos a um, uma ação do PT baiano pedindo a proibição, por parte de candidatos de partidos e coligações adversários, de uso da imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em suas propagandas eleitorais. A decisão impacta diretamente a campanha do atual prefeito de Salvador (BA), João Henrique Carneiro (PMDB), candidato à reeleição, que inseria constantemente fotos e vídeos de visitas de Lula à capital baiana, na tentativa de mostrar sua proximidade com o presidente.

Segundo as principais pesquisas de opinião, Carneiro está tecnicamente empatado com o petista Walter Pinheiro - e com o tucano Antonio Imbassahy - no segundo lugar na preferência do eleitorado. Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM) lidera a corrida. A direção estadual do PMDB afirma que vai recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ameaça tirar o apoio do partido ao governo estadual, do também petista Jaques Wagner.


Fonte: AE
Autor: AE

FHC diz que é hora de pensar em vencer o PT'

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso chamou a atenção dos candidatos à Prefeitura São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM), que estão travando uma batalha para chegar ao segundo turno dessas eleições, sobre a necessidade de não perder o foco. "Agora, é hora de pensar em vencer o PT", avisou. FHC, que participa hoje no Grupo Estado do debate "O Futuro do Pré-Sal", afirmou também que o governador José Serra (PSDB) deveria se licenciar do cargo para entrar de fato nesta campanha.

"É possível que Serra se licencie para entrar na campanha da Prefeitura. Não conversei com ele sobre isso ainda, provavelmente ele vai esperar (o segundo turno)", afirmou. Ele defendeu a idéia de que o governador paulista entre na campanha da mesma forma como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vem atuando, como cabo eleitoral dos candidatos da base aliada.

Na avaliação de FHC, ainda não está claro quem irá disputar o segundo turno contra a candidata do PT, Marta Suplicy. Por esse motivo, o ex-presidente disse que vai guardar "energia" para essa etapa, quando ele acredita que PSDB e DEM deverão se unir contra o maior adversário das duas legendas neste pleito, o PT.

Kassab
FHC disse ainda que a licença de Serra deve ocorrer não apenas na possibilidade de o candidato tucano, Geraldo Alckmin, ir para o segundo turno, mas também caso o atual prefeito e candidato à reeleição dispute essa etapa contra Marta. "O governo dele (Gilberto Kassab) é uma continuidade do governo Serra", sustentou, num contraponto às pesadas críticas que estão sendo feitas pelo candidato de sua legenda. Fernando Henrique disse ser contra eventuais punições aos tucanos que estão na campanha do prefeito Gilberto Kassab.


Fonte: AE
Autor: AE

Técnicos de Transmissão recebem treinamento

A Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) estará ministrando até a próxima sexta-feira, 26, o treinamento para os 275 Técnicos de Transmissão Via Satélite – TSAT que irão atuar nos 175 pontos de transmissão utilizados na Eleição 2008.

O treinamento é voltado para os técnicos contratados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para darem suporte ao TRE-PA na transmissão dos boletins de urnas das eleições deste ano. Eles serão capacitados para fazerem uso do serviço BGAN (Rede Global de Banda Larga), como utilizar o notebook e os procedimentos com a urna eletrônica, já que também darão suporte às seções eleitorais.

Segundo Leila França, da Seção de Logística das Eleições, no último dia de treinamento será realizado um simulado de tudo o que foi ministrado durante o treinamento. "Os técnicos farão uma simulação da transmissão, conforme aquilo que foi visto durante o treinamento". O treinamento é realizado na Universidade da Amazônia, localizada na Avenida Senador Lemos, nº 2809. Na próxima sexta-feira, dia 26, haverá um simulado geral pela manhã.


Fonte: AI – TRE-PA
Autor: AI – TRE-PA

A charge do dia

Autor: Sponholz

DECISÃO: STJ discute aplicação da Lei do Bem de Família em imóveis de casais

O objetivo inicial da Lei n. 8.009, de 1990 (Lei do Bem de Família), a qual impede a penhora do imóvel que serve de residência é proteger a unidade familiar e, se for estendida para o caso de imóveis de pessoas separadas de fato, mas sem ter havido homologação judicial, pode facilitar fraudes. Esse foi o entendimento da maioria da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em processo originário de Rondônia. A relatora do acórdão é a ministra Nancy Andrighi.


Fonte: STJ
Autor: STJ

TSE vai coibir fraudes na identificação de eleitores

Os eleitores da 165ª Zona Eleitoral do município de Cândido Sales (BA) e da 14ª Zona Eleitoral em Viseu (PA) serão obrigados a se identificar aos mesários no dia da eleição. Isso significa que terão de apresentar um documento oficial com foto junto com o título eleitoral, antes de entrar na cabine de votação.

A decisão foi do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em sessão administrativa. O plenário aceitou os pedidos dos Tribunais Regionais Eleitorais da Bahia e do Pará (TRE-BA e TRE-PA) ao acompanhar o voto do relator do caso, Felix Fischer.

Segundo informações da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, às vésperas das eleições municipais de 2004, um dos candidatos à prefeitura de Cândido Sales informou o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia sobre a suspeita de extravio de títulos do cartório eleitoral.

O fato levou à abertura de inquérito pela Polícia Federal. Como as investigações não foram concluídas, passados quatro anos, o TRE, preocupado com a possibilidade de fraudes, solicitou ao TSE a identificação dos eleitores. A preocupação com a lisura do processo eleitoral levou o TRE do Pará a fazer pedido semelhante.

O TSE tem entendimento firmado no sentido de dispensar a apresentação de documentos de identificação quando o eleitor apresentar seu título eleitoral.

Entretanto, o ministro Fischer explicou que quando há indícios de possível utilização de inscrições eleitorais por terceiros, que não os titulares, o Tribunal tem admitido a exigência da apresentação de um documento oficial de identificação, para comprovar a identidade do eleitor. Os documentos necessários estão no artigo 50 da Resolução 22.712/2008, que trata dos atos preparatórios para as eleições.


Fonte: TSE
Autor: TSE

TSE nega recurso de coligação do Pará contra a governadora Ana Júlia Carepa

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, por unanimidade, na sessão plenária ontem (23), recurso movido pela coligação "União pelo Pará" contra a candidata eleita governadora do estado em 2006, Ana Júlia Carepa, por suposta compra de votos naquelas eleições.

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) considerou improcedente a representação da coligação, por insuficiência de provas. O TSE manteve a decisão do tribunal regional.

A coligação acusou Ana Julia Carepa de uso de programas sociais do governo federal, tais como Pronaf, entre outros, para angariar votos entre pequenos produtores rurais e ribeirinhos nas eleições de 2006. A compra de votos é vedada pela legislação eleitoral.

Ao julgar a representação, o Tribunal Regional do Pará verificou que não ficou caracterizada a participação direta ou indireta da candidata na distribuição de bens dos programas sociais federais nem a entrega dos bens com a contrapartida do respectivo pedido de voto.

O ministro Caputo Bastos, relator do caso no TSE, julgou correto o entendimento do tribunal regional ao considerar improcedente a representação, já que a captação ilícita de votos pela candidata não foi comprovada.



Fonte: TSE
Autor: TSE

Humilhação para receber

Os prestadores de serviço que possuem contrato com a prefeitura de Capanema, cidade a 160 km de Belém, passam por humilhação para receber os valores acordados no final da execução do trabalho. Muitos prestadores correm de um lado para o outro atrás do prefeito implorando pelo suado dinheiro.

Segundo uma fonte do blog, o prefeito se esconde para dificultar o pagamento dos serviços prestados.


Atualizado às 19:15

Há uma fila interminável de prestadores de serviço a espera do prefeito, Buchacra desde a manhã de hoje, na secretaria de finanças na esperança de receber seus pagamentos pelos serviços contratados.

Atualizado às 20:45
'
O prefeito Buchacra deixou a cidade com destino a Belém sem dar satisfação aos prestadores de serviço da prefeitura que esperaram o dia todo para receber seus pagamentos. Amanha continua a rotina de humilhação dos prestadores.
-
Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

Duelo no asfalto

O prefeito do município de Capanema, no Pará, José Alexandre Buchacra [PT-AS] trocou farpas, com o deputado estadual, Zé Neto – PP, hoje pela manhã, quando acompanhava a pavimentação em uma rua, próximo a Praça do Lions.

Segundo fontes, o deputado chegou à obra pedindo para encerrar a pavimentação, pois julgou ser eleitoreira. Buchacra lembrou o deputado que não era candidato a reeleição e convidou Zé Neto a se retirar do local imediatamente.



Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

O PAM na sua essência

O signatário pode confirmar a celebre frase de Jesus Cristo: “Thomé, homem de pouca fé, que só acreditou por que viu”. Mas neste quem precisou do PAM - Pronto Atendimento Médico e viu in loco sua estrutura foi o signatário, que mesmo com plano médico particular não pode ser atendido nos hospitais conveniados em Capanema, no Pará, ontem [23].

Em pouco mais de 10min, após o preenchimento de uma ficha na recepção do PAM desloquei-me para o consultório médico. Consulta rápida, com receituário em mãos, me dirigi até o posto da enfermaria para receber a medicação prescrita pelo médico plantonista.

Em menos de cinco minutos a enfermeira, Antonia Braga, com 18 de experiência estava aplicando o Buscopam na veia.

Como a medicação provoca reações adversas, a experiente enfermeira conduziu o signatário até um leito para amenizar os efeitos colaterais.

Não há nada melhor do que passar pela experiência de necessitar o serviço público de saúde para saber se ele funciona ou não. E neste caso, o PAM – Pronto Atendimento Médico do município de Capanema, no Pará foi impecável: médico plantonista no local de trabalho, medicamento a disposição do usuário, enfermeira altamente qualificada para atender a população carente do município.

A saúde pública em Capanema pode até estar deficitário com falta de medicamentos, segundo relatou os vereadores Rubens Anselmo, Marcelo Pierre e Wilson Araújo, diversas vezes da tribuna das profanações e promessas políticas, mas o atendimento e funcionamento do PAM estão “impecáveis”.

Justiça seja feita: o PAM funciona perfeitamente. E aqui relato como experiência, de quem precisou ontem, às 23h, do serviço público de saúde do município.



Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

Jader Barbalho vai decidir eleições na capital

Todos os paraenses sabem que o reduto eleitoral do deputado federal e presidente do peemedebe, Jader Barbalho é no interior do estado do Pará. Mas parece que o polêmico político vai decidir as eleições na capital. O termômetro para 2010 é justamente a capital paraense.

As pesquisas do IBOPE apontam empate entre os prefeitáveis Duciomar Costa – PTB e Valéria Pires Franco – DEM. Logo atrás vem Priante – PMDB.

Pelos bastidores comenta-se que Priante está colado na orelha de Valéria, com percentual pequeno.

Pois bem. Vamos supor que passe Duciomar e Valéria para o segundo turno. Neste contexto fica sobrando os votos de Priante, Mário Cardoso –PT, Jordy –PPS. Não vamos computar os votos da prefeitável Marinor Brito – PSOL.

As chances de Jader Barbalho persuadir Priante e Mário Cardoso para apoiar Duciomar Costa são enormes.

Os motivos: Valéria fez composição com o PSDB de Simão Jatene, neste caso inimigo político do PMDB; então essa conjuntura para não deixar Valéria assumir é grande.

O único partido que Valéria teria para compor seria o PPS de Jordy e o partido minúsculo de Marinor Brito seria uma incógnita.

Duciomar vencendo terá que apoiar o PMDB a governo do estado, e neste caso pode ser Helder Barbalho – PMDB, que tenta se reeleger prefeito do município de Ananindeua, mas se perder, o próprio Jader Barbalho virá candidato a majoritário. Essa especulação é fortíssima.

Para Jader ter a hegemonia na corrida ao executivo estadual em 2010 só falta conquistar a capital e a vitória vai depender de quem vai apoiar no 2º turno, caso Priante não consiga o percentual exigido para classificação.

PSDB – o ninho tucano anda em pé de guerra entre o senador Mário Couto, que já ventilou sair candidato a executivo estadual, em 2010, com o ex-governador Simão Jatene.

Pelo desenvolver dos fatos terá bateção de chapa no ninho tucano.

PT – Jader concedeu entrevista ao blog no dia 22 de agosto deixando claro que se a governadora estiver bem na administração o PMDB apóia o PT. Mas ficou subtendido que pode haver rompimento no namoro político.

Ainda é cedo para especular, mas o desenho não passa dessa formatação.


Fonte: Jornalismo Político
Autor: Jornalismo Político

PSDB nega punição a Clóvis Carvalho antes das eleições

Não vai sair do papel a ameaça do diretório paulistano do PSDB de expulsar do partido o secretário municipal de Governo, Clóvis Carvalho, pelas críticas ao candidato Geraldo Alckmin. O presidente do Conselho Nacional de Ética e Disciplina do PSDB, deputado Affonso Camargo (PR), diz que não há mais tempo para processar e expulsar ninguém antes das eleições. "Como houve muita demora para encaminhar qualquer coisa, não há mais tempo para punir ninguém antes das eleições. Se houver qualquer coisa, ficará para depois", resumiu Camargo. Ele explicou ainda que o colegiado só age quando solicitado, a partir do Diretório Municipal, que passa a demanda à instância estadual, que aciona a Direção Nacional.

Uma vez passado o pleito, contudo, a avaliação geral é de que o episódio cairá no esquecimento, qualquer que seja o resultado das urnas. Gritaria à parte, reza a tradição tucana que a degola está fora do cardápio das punições. Caso emblemático é o do prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB), citado na Operação Santa Tereza da Polícia Federal, que investiga desvio de recursos do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), lavagem de dinheiro e até tráfico internacional de mulheres.

Um de seus secretários foi preso, mas bastou a Direção Nacional falar em desfiliação durante o processo para que ele fincasse pé no partido. Mourão deixou o cargo que tinha no Diretório Estadual por iniciativa própria e nem sequer foi aberto processo contra ele. As investigações da PF continuam, mas, passados quatro meses, o próprio PSDB fala em devolver-lhe o posto na Direção Estadual, com base no resultado de auditoria interna do BNDES segundo a qual não houve irregularidade nas operações com Praia Grande.


Fonte: AE
Autor: AE

PSDB sonda coligados do DEM para 2º turno em SP

Embora o cenário para a disputa no segundo turno ainda esteja indefinido na capital paulista, aliados do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, já começaram o assédio a partidos que apóiam o adversário Gilberto Kassab (DEM) para fechar alianças para a nova fase da eleição. Foram procurados pelos tucanos PMDB, PV e PSC. Não é a primeira vez que Alckmin tenta obter o apoio das legendas. Com exceção do PSC, PMDB e PV foram assediados pelos tucanos já no primeiro turno desta eleição. Kassab, entretanto, acabou levando os dois partidos para seu leque de aliados.

Os tucanos dizem que, por enquanto, o contato com as siglas foi informal. Com o PMDB e o PV, houve uma conversa entre o candidato a vice de Alckmin, deputado estadual Campos Machado (PTB), e os respectivos presidentes municipais dos partidos. No PSC, o contato foi feito pelo coordenador-geral da campanha alckmista, deputado Edson Aparecido. Do PMDB, os tucanos cobiçam a estrutura partidária de base. Acreditam que, para enfrentar o PT, bastante organizado na periferia, precisam juntar forças. O PV fortaleceria o discurso ambientalista. Do PSC, interessa o apoio dos evangélicos.

A aliança mais polêmica deverá ser, entretanto, com o DEM, caso Alckmin chegue ao segundo turno. Alckmistas consideram possível um apoio do antigo aliado, mesmo depois dos ataques duros feitos a Kassab, e creditam uma futura aliança a um "pragmatismo político" do DEM. Os tucanos avaliam ainda que, com ou sem apoio formal, a maioria dos votos do prefeito migraria automaticamente para Alckmin. Na campanha de Kassab, a corrida por aliados por parte dos tucanos antes mesmo de uma definição do segundo turno foi encarada como bravata.


Fonte: AE
Autor: AE

A charge do dia

Autor: Sponholz

Comitês da maldade

Por Onofre Ribeiro

Os jornais, os sites e os blogs de Cuiabá trouxeram ontem com destaque as acusações produzidas pelos comitês de campanha dos candidatos a prefeito da capital Wilson Santos e Walter Rabello, contra o também candidato Mauro Mendes. Quebrou-se ali o pacto tácito de civilidade! A exemplo de Várzea Grande, começaram as baixarias. Pela lógica, Wilson Santos dispensaria esse tipo de atitude, tanto pelo seu perfil pessoal quanto pela sua posição privilegiada nas pesquisas de intenção de voto. Pode-se creditar isso ao mau aconselhamento de assessores.

Já Walter Rabello está na fase do desespero, porque além de perder pontos nas pesquisas, foi abandonado pelos patronos de sua candidatura, como o deputado José Riva e o senador Jaime Campos. Dele pode-se esperar tudo a partir de agora.

A respeito das acusações feitas a empresários como o candidato Mauro Mendes, parece bem oportuno voltar na história e relembrar alguns exemplos clássicos. Em 1986, o banqueiro Olavo Setúbal, candidato a governador de São Paulo, foi atacado pelo candidato Orestes Quércia, do PMDB, dizendo que o banco Itaú estava quebrado e que o seu presidente estava tentando se eleger governador para salvar o banco. Setúbal mandou que o banco pagasse todos os saques que houve na corrida dos correntistas. O banco não quebrou, mas a política perdeu Olavo Setúbal, que desistiu da candidatura. E ganhou Quércia...! Na mesma eleição, o mesmo Quércia detonou com o empresário Antonio Ermírio de Morais, levantando acusações sobre a existência de trabalho escravo em uma de suas fazendas no interior de São Paulo. A denúncia atingiu Antonio Ermírio no brio. Ele esfriou a campanha e abandonou a política. E o Brasil e São Paulo ficaram com o mesmo Orestes Quércia, acusado de barbaridades e de corrupções infinitas durante o seu governo!

Na eleição de 2002 em Mato Grosso, em certo momento, o senador Antero Paes de Barros, candidato a governador pelo PSDB, atacou duramente o caidato Blairo Maggi, acusando-o de ter roubado o banco de sementes da Embrapa sob a guarda da Fundação Mato Grosso de Pesquisas. Blairo se ofendeu tanto, que quis deixar a campanha ali mesmo. Não deixou, mas ficou inimigo de Dante de Oliveira, de quem fora amigo, e do senador Antero. Dante e Blairo nunca mais se reconciliaram.

Na eleição de 2004 de prefeito de Cuiabá, o deputado Alexandre César foi acusado pelo deputado federal Wilson Santos, de ter usurpado uma casa vendida pelo seu pai há alguns anos. Pareceu que a denúncia derrubou o adversário e deu a vitória a Wilson Santos. Porém, hoje, visto anos depois, o episódio não foi relevante para a vitória. O seu grande mérito foi o de dar ânimo a Wilson Santos que saiu do primeiro turno com a sensação de derrota, porque esperava ganhar no primeiro. E, também, porque se surpreendeu com a expressão de votos de Alexandre César.

Wilson foi eleito porque ao eleitor apareceu como a melhor opção. O arranhão entre ambos nunca se corrigirá.

Trazendo esses exemplos ruins e desnecessários para a atual eleição de prefeito, parece que os marqueteiros não compreenderam ainda que o eleitor se constrange diante desse tipo de campanha eleitoral. Nenhum empresário tolera esse tipo de comportamento. É burrice pura apelar para as baixarias dos comitês de maldade!


Onofre Ribeiro é articulista deste jornal e das revistas RDM e Centro-Oeste

Lula: liberdade de imprensa supõe mais responsabilidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que a "liberdade de imprensa pressupõe o aumento da responsabilidade de todos para que possamos conviver com ela". Ele fez a declaração na porta do hotel Waldorf Astoria, onde está hospedado, assim que retornou da sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Questionado se não seria um contra-senso o governo defender a liberdade de imprensa justamente num momento em que prepara um projeto de lei que criminaliza o vazamento de informações sigilosas, responsabilizando quem fornece os dados e quem os publica, Lula disse: "Liberdade de imprensa não pode pressupor que alguém possa roubar informações e elas possam ser divulgadas sem que a pessoa que tenha roubado fique impune, porque senão você terá dois tipos de cidadãos no Brasil: um que estará subordinado à Constituição e à legislação, e um que pode tudo."

O presidente disse que é preciso ter cuidado. "Quando eu defendo a liberdade de imprensa, é porque eu digo todo santo dia: eu sou o que sou porque no Brasil teve liberdade de imprensa, mesmo quando falava mal de mim. Eu não quero liberdade de imprensa pra falar bem, quero liberdade pra falar a verdade. Quando as pessoas não falarem a verdade, o povo fará seu julgamento", disse Lula.

Questionado se defendia a abertura do sigilo da fonte, o presidente Lula não quis responder. Ontem, em Nova York, Lula fez uma veemente defesa da liberdade de imprensa, ao receber um prêmio da agência de notícias IPS.

Fonte: AE
Autor: AE

Parlamentar critica obras de conservação da Rodovia Everaldo Martins

O deputado estadual Alexandre Von usou mais uma vez a Tribuna da Assembléia Legislativa do Estado do Pará para criticar duramente o péssimo serviço que está sendo executado pela Secretaria de Estado de Transportes, do Governo do Estado do Pará, na Rodovia Everaldo Martins, ligando a sede do município de Santarém à vila turística de Alter-do-Chão. Para o parlamentar é inaceitável e inexplicável que estejam sendo aplicados recursos públicos da ordem de R$ 2.500.000,00 (dois milhões e quinhentos mil reais) oriundos do Orçamento do Estado do Pará, destinados à conservação de 10 km da referida rodovia estadual, na execução de um serviço de péssima qualidade, totalmente fora dos padrões técnicos, numa clara demonstração de má aplicação dos recursos públicos e em flagrante desrespeito à população de Santarém, e em especial às comunidades da região do Eixo Forte.

Alexandre Von fez questão de lembrar perante o Plenário da Assembléia Legislativa que, do total de recursos que estão sendo aplicados na referida obra, R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) foram garantidos através de emenda parlamentar apresentada conjuntamente pelos três representantes santarenos naquela Casa de Leis (Dep. Alexandre Von - PSDB/PA, Dep. Antonio Rocha - PMDB/PA e Dep. Carlos Martins - PT/PA). \"É vergonhoso espalhar asfalto com patrol ao longo dos trechos críticos, e chamar isso de obra de conservação da Rodovia Estadual Everaldo Martins\".

Alexandre Von defende a conclusão da pavimentação da Rodovia Fernando Guilhon

No mesmo pronunciamento em que fez duras críticas à má qualidade das obras de conservação da Rodovia Everaldo Martins, o parlamentar santareno fez um apelo ao Governo do Estado do Pará para que não interrompa as obras de pavimentação da Rodovia Fernando Guilhon, que liga a sede do município de Santarém ao Aeroporto Maestro Wilson Fonseca. Alexandre informou que, após ter sido executado o serviço de pavimentação e sinalização do trecho compreendido entre o Aeroporto e a ponte sobre o Igarapé do Juá, as obras encontram-se paralisadas, e revelou seu temor de que as mesmas não sejam continuadas após o período eleitoral, caracterizando-se, simplesmente, como obra eleitoreira.


Fonte: AI – Dep. Alexandre Von

A charge do dia

Autor: Sponholz

Funcap realiza Audiência Pública com candidatos

A Fundação da Criança e do Adolescente do Pará (Funcap) realiza na manhã desta terça-feira (23), a partir das 9 horas, uma audiência pública com representantes de partidos políticos que disputam a eleição para Prefeitura Municipal de Belém. A idéia é formalizar um compromisso político para o cumprimento dos 18 pontos de uma carta aberta elaborada em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca). Cerca de vinte adolescentes que cumprem medida sócio-educativa na rede de proteção social da Funcap devem participar da audiência, que terá ainda uma exposição de objetos produzidos nos centros de internação da Funcap.

Fonte: Secom

Autor: Secom

Presidência gastará 187,5 milhões em publicidade

A Secretaria de Comunicação (Secom), responsável pela imagem da Presidência da República, extrapolou em mais R$ 37,5 milhões a estimativa de gastos com as três principais agências de publicidade contratadas pelo governo. Uma mudança no contrato de 12 meses firmado com a Matisse, Propeg e a 141 Brasil permite que a despesa chegue a R$ 187,5 milhões, 25% a mais do que era estimado no processo de licitação.

O aditamento, garantido por uma brecha do contrato, será repartido entre as três empresas contratadas para fazer campanhas publicitárias no período de março de 2008 a março de 2009. No início do ano, as agências foram escolhidas numa lista de 30 empresas para dividir um bolo de R$ 150 milhões.

A Matisse, do publicitário Paulo de Tarso Venceslau, fez a campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva em 1989 e trabalha com o governo desde 2003. A Propeg, do publicitário baiano Fernando Barros, se especializou em campanhas do ex-senador Antonio Carlos Magalhães e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Barros, que sempre foi atacado pelos petistas da Bahia, é visto como uma pessoa de boas relações com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. Já a 141 Brasil, de Mauro Motoryn, fez campanhas da Central Única dos Trabalhadores e do Ministério do Turismo. A agência chegou a ser citada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios.

O governo argumenta que aditou em 25% o contrato de publicidade para desenvolver campanhas de órgãos sem agências, como o Ministério da Justiça, a Secretaria de Direitos Humanos e a Secretaria de Juventude, de onde sairão os recursos. As novas campanhas vão abordar temas como a redução de mortes no trânsito com a Lei Seca, o ProJovem e o registro civil de nascimento.

Fonte: AE

Autor: AE

Mais um filho é chamado pelo Pai em Capanema

Está cada vez mais difícil o município de Capanema, no Pará, renovar os filhos ilustres que são chamados para ficar ao lado do Pai. Recentemente Ele chamou Elias Salim Abud, agora foi à vez de chamar, ontem, às 02h30min, José Jorge da Costa.

Essas pessoas fizeram parte da história do município; com elas se vão anos e anos de tradição, pessoas que deixaram um rastro quilométrico de saudades de quem conviveram e sabem quem são esses filhos que foram chamados por ordem expressas do nosso Pai.

Capanema amanheceu mais pobre no contexto geral, principalmente pela ética e pela moral.



Fonte: Jornalismo Político

Autor: Jornalismo Político